8 de fev de 2013

ENTREVISTA: Conheça o artista gaúcho Duda Lanna e sua obra

Não sei se já contei alguma vez aqui, mas sou um pintor e desenhista amador. Assim sendo, sempre me interessei pelo assunto, buscando conhecer mais sobre artistas e ilustradores, novos ou clássicos, em livros, revistas, tevê e internet. Foi numa dessas buscas que me deparei com a obra do gaúcho Duda Lanna (acredito que isso tenha acontecido primeiro no flickr).

As psicodélicas ilustrações elaboradas por Lanna são de um assombro mágico. Algumas são totalmente em preto-e-branco; outras, preenchidas com dezenas de cores chapadas que, dependendo da distância com que você as observa, vão se mesclando e formando jogos ópticos inusitados. São obras que podemos chamar de abstratas, porém é difícil olhar para elas e não tentar imaginar algo figurativo — por vezes, consigo enxergar, sei lá, uma ave ou inseto, um corpo de mulher, um instrumento musical, enfim, os olhos e a imaginação trabalham e relaxam ao mesmo tempo!

O movimento artístico que podemos melhor encaixar a grande parcela dos trabalhos que ilustram esta postagem seria o "op art", originado nos anos 50/60, cujo nome é uma abreviação de optical art, ou seja, peças abstratas que fazem brincadeiras com o olhar do espectador, sugerindo movimentos ou deformações de elementos gráficos, como linhas — retas ou curvas —, retângulos, círculos, e toda sorte de figuras geométricas.


Lanna gentilmente concordou em conceder uma entrevista para o blog. Sei que meus leitores adoram essas dicas culturais que venho postando aqui desde o começo do ano e adoram ver coisas bonitas (quem não gosta?).
Boa leitura.
E logo mais tem dica de como comprar uma das obras do artista.


Bazar Masculino: Primeiramente, obrigado pelo prazer da entrevista. Diga-nos: onde você busca inspiração para seus trabalhos tão singulares? Há algum artista que o tenha inspirado ao longo de sua carreira?
Duda Lanna: Eu que agradeço a oportunidade de divulgar meu trabalho. Minha inspiração vem de temas que sempre me instigaram, como, por exemplo, a ficção científica, a simbologia, a psicodelia, a geometria, a religião, etc. Eu procuro criar obras que me tirem da rotina do dia-a-dia, que me levem a algum outro lugar, longe da realidade dura em que vivemos, como contas a pagar, problemas de relacionamento, Renan Calheiros, tragédias, estupidez humana. Não tenho problema em dizer que meu trabalho serve como escapismo para todas as minhas aflições e medos. E espero que possa servir dessa forma para outras pessoas também. O artista que mais me influenciou até hoje foi o Victor Vasarely, tenho até uma tattoo em homenagem a ele.


BM: Você costuma fazer algum tipo de esboço ou estudo antes?
DL: Já fiz, mas agora eu procuro deixar que o acaso e todas as minhas referências me levem para algum lugar desconhecido, dessa forma tudo se torna mais divertido. Não saber aonde aquele trabalho vai te levar pode ser bem perigoso, pois tudo pode acabar dando errado. Mas dessa forma o trabalho fica mais espontâneo e inusitado, pois novas ideias e referências vão surgindo durante o processo. Acabei de ver um documentário sobre o M.C. Escher, outra grande influência, no qual ele dizia: "Nunca pense antes de começar."


BM: Quanto tempo, em média, você leva para concluir uma ilustração? Parecem levar dias! 
DL: Algumas levam mais que dias, podem levar pelo menos 2 meses, depende muito das dimensões da pintura e do nível de detalhamento. Nesse sentido eu me inspiro muito nos monges budistas tibetanos e na construção das mandalas feitas de areia colorida. Paciência, concentração, e habilidade é meu mantra.


BM: O que o levou a fazer artes plásticas/gráficas? Ou melhor, houve algum incentivo na família ou na época da escola?
DL: Minha mãe, falecida há um ano, era artista plástica, sendo assim, foi bem natural para mim escolher esse caminho. Também me lembro que, na escola, a minha matéria preferida era desenho. Depois, mais tarde, descobri a geometria espacial, talvez por influência do meu pai, que é engenheiro. Acabei estudando desenho industrial, e mais tarde comecei meu trabalho autoral.


BM: Em sua opinião, qual a principal diferença entre um artesão e um artista?
DL: O artista cria independente da matéria e da função do objeto. Um conceito pode ser arte, inverter uma roda de bicicleta e coloca-lá em cima de uma banco, tirando dessa forma a sua utilidade, pode ser arte, como fez Duchamp. O artesão, pelo contrário, cria baseado em funcionalidade ou em aspectos decorativos, o conceito não é importante.


BM: Onde você já expôs? 
DL: Já fiz exposições em grupo e uma individual no Sesc Santana, em São Paulo, uma ambientação que criei para o lugar, o que chamam de site specific.


BM: Sonha em ver uma obra sua exposta num lugar específico?
DL: Tenho vontade de criar algo para espaços públicos, como em um parque ou outro lugar com um grande trânsito de pessoas. Quero levar a minha arte para o maior número de pessoas possível. Tenho algumas "expôs" coletivas agendas para este ano.


BM: Existem artistas que não conseguem produzir nada que seja encomendado, mesmo por dinheiro, fazendo apenas o que a inspiração mandar. Para você existe isso, ou você já fez ou faria algum projeto de acordo com as instruções de outra pessoa?
DL: Já fiz e não tenho nenhum problema em relação a isso, talvez pela minha formação como designer, não tenho medo de briefing, e inclusive acho muito estimulante poder criar algo dentro de um contexto mais fechado.


BM: Só para encerrar, deixe uma mensagem aos leitores do BAZAR. Aliás, tenho certeza de que todos adoraram conhecer sua obra aqui...
DL: Muito obrigado pela entrevista e pela divulgação do meu trabalho. Vou dar um conselho que um grande amigo meu, o Álcio, sempre dá: "Escutem Black Sabbath".


Abaixo, vocês conferem mais um pouco da obra de Duda Lanna.



Ficou interessado em adquirir algum trabalho dele? Pois clique aqui e confira a Urban Arts, uma das maiores lojas nacionais de arte na internet. Lá você pode encomendar suas reproduções (e até de outros artistas) em diversos formatos, a partir de R$ 49.

10 comentários:

  1. Nossa, ainda não conhecia o artista e me surpreendi.
    Sem dúvidas uma riqueza grandiosa em suas obras!
    Abraços!

    Senhor do Século | Beleza para Homens | Divulgue seu Sorteio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Riqueza mesmo, né? Adoro essas ilustrações repletas de detalhes. Dá pra ficar horas olhando pra elas...
      Abração e bom feriado!

      Excluir
  2. Fantástico! Parabéns ao Duda Lana e a vo por nos apresentá-lo ...

    bjão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado de conhecê-lo, Bratz.
      Bjs e bom Carnaval.

      Excluir
  3. Pierre:

    Matou a pau agora, está simplesmente incrível a entrevista e a postagem. Um cara de talento, brasileiro e que precisa ser conhecido e divulgado mesmooo.

    Parabéns aos 2.

    Abraços querido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talentos brasileiros devem ser sempre enaltecidos. Duda Lanna é um deles. Sabia que vc ia amar essa!
      ;)
      Abraço e obrigado pela visita.

      Excluir
  4. Oi Pierre, tudo bem? Desculpe a ausência. Revi posturas e pensamentos e coisas e resolvi voltar, afinal de contas aprendi e aprendo muito aqui com vc!
    abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Luiz, fico feliz por ler isso. Seja novamente bem-vindo e volte sempre, pois espero que todas as postagens possam lhe ser proveitosas de alguma maneira.
      Abraços e bom feriadão de Carnaval.

      Excluir
  5. Respostas
    1. Obrigado, querido! Um bom fim de semana.
      =)

      Excluir